Dia Mundial do Oceano: Saiba a importância da data e 7 formas de ajudar o planeta

oceano

Hoje é o dia Mundial dos Oceanos! Uma data muito importante, que nos convida a refletir sobre a importância dos oceanos para a saúde do planeta Terra e para a nossa existência como um todo. 

A data passou a ser comemorada em 8 de junho de 1992 durante a Rio-92 na cidade do Rio de Janeiro, Brasil. 

Desde então, diversas empresas e ONGS aproveitam o dia para realizar campanhas de conscientização sobre a poluição dos mares e oceanos. 

Em homenagem aos 7 mares, dividimos este conteúdo em 7 tópicos para te explicar de forma didática tudo sobre os oceanos e como contribuir para a mudança, que adianto, é essencial para a nossa vida também! Vamos juntos?

  1. A importância do oceano para a saúde do planeta
  2. O oceano é o pulmão do mundo?
  3. Características de cada Oceano
  4. Como a poluição dos mares afeta o planeta e a humanidade?
  5. Microplástico: ameaça iminente
  6. O sumiço dos recifes de corais
  7. Como contribuir para a saúde dos oceanos?

1. A importância do oceano para a saúde do planeta

Os oceanos compõem cerca de 70% da superfície terrestre e desempenham um importante papel no equilíbrio do clima, uma vez que absorvem a maior parte da energia solar.

Pode parecer pouco, mas o equilíbrio climático é fundamental para toda a biodiversidade viver em harmonia e prosperar. Os oceanos auxiliam na distribuição do calor com as correntes marinhas e a umidade gerada pela evaporação da água do mar.

Essa umidade, que é gerada ao absorver a energia solar, transforma-se em nuvens que se precipitam, originando as chuvas. Você deve ter percebido que estamos falando do ciclo da água, fenômeno que só existe no planeta Terra e nos permite viver.

Além do equilíbrio do clima e de gerar o ciclo da água, os oceanos absorvem a maior parte do CO2 presente na atmosfera, por meio da fotossíntese realizada pelos plânctons. 

2. O oceano é o pulmão do mundo?

Uma das mais importantes funções do oceano, se não a mais importante, é a produção de oxigênio. É no oceano que vivem as algas marinhas e bactérias responsáveis pela produção de 98% do oxigênio atmosférico.

A esses seres microscópicos presentes no mar, damos o nome de fitoplâncton. São eles que carregam a responsa de encher nossos pulmões de ar! 

3. Características de cada Oceano

Você sabia que existem mais de 100 mares no mundo? Juntos, formam 5 oceanos que já conhecemos bem: Atlântico, Pacífico, Índico, Glacial Ártico e Glacial Antártico (sendo os dois últimos não mais considerados oceanos e sim grandes mares).

Abaixo, falamos sobre a importância e características de cada um deles. Confira!

Atlântico

O oceano atlântico é o segundo maior da Terra, e está situado entre três continentes — América, África e Europa. É o único que tem ligação com todos os oceanos e exerce forte influência no clima mundial, carregando umidade e chuvas para diversos locais do globo.

Por estar entre três continentes, o oceano atlântico contribui para o desenvolvimento econômico de centenas de países, possibilitando o fluxo comercial e transporte de pessoas, além de ser uma grande rota de navegação.

Problemas ambientais 

Os problemas ambientais vêm se agravando a cada ano que passa, principalmente por conta da globalização que aumentou consideravelmente o fluxo de mercadorias e pessoas. 

Novas demandas sociais, econômicas e culturais influenciaram a exploração excessiva do oceano, desde a pesca até a os recursos naturais como combustíveis fósseis (que não são renováveis). Essas explorações apresentam um alto risco a biodiversidade marinha e a vida como um todo.

A biodiversidade é importante para os ciclos naturais da vida. Quando um animal é retirado da cadeia alimentar, outros animais começam a sumir aos poucos por não terem alimentos. E os animais têm um papel importante para harmonia do planeta.

Índico

Está localizado entre a Antártida, a África, a Ásia e a Oceania. Cobre 20% da água da superfície terrestre e é o terceiro maior do mundo. Possui grandes reservas de recursos minerais, como o petróleo, o combustível fóssil mais valorizado do mundo!

Por ser rico em reservas de petróleo, o oceano Índico vem sendo explorado ao longo dos séculos, o que resultou na poluição das suas águas por rejeitos minerários e industriais.

Esse oceano tem um relevo montanhoso, abrigando diversos vulcões extintos que deram origem a ilhas muito famosas, como Madagascar e Maldivas

O ponto mais profundo desse oceano que é conhecido, chamado Fossa de Java, tem cerca de 7.450 metros de profundidade (quase o tamanho do monte Everest, que mede 8.849m de altitude).

Problemas ambientais

Os problemas ambientais enfrentados por este oceano são principalmente a exploração de combustíveis fósseis e o transporte de cargas, que ao longo dos anos causou uma grande perda biológica.

Pacífico 

É o maior e mais antigo oceano do planeta Terra. É o mesmo oceano que banhou a Pangeia, quando os continentes ainda eram um só. 

Representa um terço da superfície terrestre e banha o continente americano, a Oceania, a Ásia e a Antártica.

Os climas que atingem o oceano pacífico vão desde o polar, até o subtropical, tropical e equatorial. Por isso a variação de temperaturas de suas águas vai das proximidades do 0°C nas regiões polares, até próximo aos 30°C nas regiões mais quentes.

O oceano pacífico é conhecido pelas suas ilhas, como a polinésia (recebe esse nome por ter muitas ilhas), a melanésia (recebe esse nome por ter sido inicialmente habitada por pessoas negras) e a micronésia (pequenas ilhas).

O oceano pacífico é responsável pela maior parte dos terremotos, tendo inclusive uma região denominada de Círculo de Fogo do Pacífico, que abrange muitos países como Nova Zelândia, Japão, Chile entre outros.

Isso acontece porque as placas tectônicas do oceano pacífico são mais antigas e pesadas que seu entorno. Então, em vários encontros de placas tectônicas ocorre o fenômeno de subducção, onde uma placa fica por baixo da outra ao se chocarem. 

Problemas ambientais

Assim como nos outros oceanos, o pacífico sofre forte exploração de petróleo, minérios e gás natural. Além da pesca abusiva que ameaça a vida marinha, impedindo que as espécies se reproduzam naturalmente para restaurar o equilíbrio da biodiversidade marinha.

Mas o problema que mais tem chamado a atenção de cientistas e governos no mundo todo, é o derretimento das calotas polares devido ao aquecimento global.

4. Como a poluição dos mares afeta o planeta e a humanidade?

Como vimos anteriormente, o oceano é responsável pela maior produção de oxigênio do planeta Terra. Com a exploração de recursos naturais, pesca abusiva, descarte inadequado do lixo (principalmente o plástico) e demais atividades humanas, a vida marinha está tendo grande dificuldade de se regenerar e se manter funcionando.

As algas marinhas ficam a poucos metros da superfície do oceano, pois precisam da luz solar para realizar a fotossíntese. Com tanta poluição, plásticos e dejetos, as algas recebem menos luz solar. Portanto, realizam menos fotossíntese, ocasionando na falta de oxigênio.

A biodiversidade prejudicada também afeta o planeta, pois a cadeia alimentar influencia no equilíbrio da fauna e da flora. Um exemplo disso são os recifes de corais, que estão sumindo e embranquecendo devido ao aquecimento global, um fenômeno extremamente prejudicial para a biodiversidade marinha.

5. Microplástico: ameaça iminente

O microplástico é um dos maiores problemas que o meio ambiente enfrenta atualmente. Nada mais é do que o plástico, esse mesmo que usamos no dia a dia em garrafas, copos descartáveis e sacolas, só que partido milhares de vezes até se tornar um microplástico.

O plástico leva 450 anos para se decompor naturalmente na natureza. Você já deve estar calculando quando nos livraremos de todo esse plástico produzido em escala global. E a resposta é: praticamente nunca. Antes de se decompor, ele se transforma nessas pequenas partículas, que estão por todo oceano, sendo ingerido por milhares de peixes.

Por ser pequeno, ele não é inofensivo? Aí é que está. O plástico tem forte capacidade de absorver químicas, então uma vez ingerido por peixes, essas químicas também serão ingeridas pelos humanos que consomem carne animal. É um problema em cadeia que não tem fim.

E a única forma de resolver é: deixando de consumir plástico.

6. O sumiço dos recifes de corais

Os recifes de corais vêm sumindo nos últimos anos. É o que mergulhadores, pesquisadores e cientistas notaram ao se deparar com estruturas “ósseas” embranquecidas do que deveriam ser recifes inteiros. O que parecia um caso isolado, foi tomando grandes proporções até realmente preocupar os cientistas.

O que acontece, é que os corais vivem em temperaturas médias de 25ºC, mas com o aquecimento global, a temperatura dos mares vêm subindo também. Com isso, os corais não conseguem sobreviver, e aos poucos perdem a cor e a vida. Isso é um grande perigo para a natureza, pois os recifes de corais abrigam diversas espécies, auxiliando na alimentação e proteção de muitos animais marinhos.

Esse é um dos alertas vermelhos de que precisamos urgentemente repensar nossa relação com a natureza e nosso papel nessa luta. Que não é só dos animais: é minha e sua.

7. Como contribuir para a saúde dos oceanos

Claro que diminuir o consumo de água e objetos de plástico descartáveis é de excelente ajuda. Mas está na hora de agir. O tempo está curto. Se as temperaturas globais aumentarem 2 graus, o nível dos oceanos aumentará cerca de meio metro ainda no século XXI. E continuará aumentando até quase dois metros até 2300, o dobro do que o IPCC previa em 2019.

Por isso, é preciso repensar o consumo como um todo, até mesmo de carne animal. A agropecuária é responsável por 97,4% do consumo total de água no Brasil em 2017, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisas apontam que parar de comer carne é melhor que parar de andar de carro.

Algumas ações que você pode começar a adotar hoje mesmo:

  • Reduzir o consumo de carne
  • Diminuir o consumo de plástico
  • Prefira objetos reutilizáveis e de longa duração
  • Adote a moda consciente e circular, consumindo de brechós e pequenos produtores
  • Recicle e reutilize
  • Prefira consumir marcas que tenham selos de reciclagem e responsabilidade ambiental
  • Troque objetos feitos de plástico por objetos sustentáveis como bucha vegetal, copos de vidro e latas de alumínio.

Conclusão

Os oceanos são parte fundamental do planeta Terra. É o que possibilita a abundância de vida, inclusive a nossa. Sem oceano, não existe vida. Por isso, aproveite a data de hoje para aprender mais, busque informações e formas de contribuir com a mudança. Essa luta também é sua, e vamos celebrar o que a natureza tem nos dado por tanto tempo!

Gostou do post? Visite o blog da Help para ler mais assuntos como este.

Para mais infos:

E-mail: bruna.teixeira@helptechnology.com.br

Telefone: (11) 4746 8556 (São Paulo)

Telefone: 0800 591 5517 (demais localidades)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *