MARKETPLACE X GUIA COMERCIAL: ONDE INVESTIR?

MARKETPLACE X GUIA COMERCIAL: ONDE INVESTIR?

Março 16, 2020 5 Por Diogo Fagundes

MARKETPLACE X GUIA COMERCIAL: ONDE INVESTIR?

Se você está pensando em ampliar suas vendas e aumentar o seu negócio, provavelmente já cogitou a possibilidade de partir para as vendas online, tendo em vista que este é um setor com muito espaço na Era Digital.

Mas você já parou para analisar bem esse meio tão promissor?

Já conferiu quais são as melhores formas de se investir nesse caminho ou, até mesmo, por onde começar?

Para que não haja nenhum tipo de problemas ou confusão ao longo do seu investimento, é necessário ter em mente que você precisa saber as vertentes mais viáveis antes de buscar o crescimento das vendas e criar o seu vínculo com softwares online.

Por isso, trouxemos neste artigo duas possibilidades: O Marketplace e o Guia Comercial.

Caso você ainda não os conheça, estamos aqui para te ajudar e contar tudo o que você precisa saber.

Vamos lá?

Tanto o marketplace quanto o guia comercial funcionam de maneira bem eficaz dentro das suas respectivas categorias e agregam muito quando são utilizados de maneira correta.
Se você não pode ou não quer investir nos dois, sempre tem aquele que vai se encaixar melhor de acordo com suas necessidades e seu modelo de negócio.
E para que você consiga fazer a melhor escolha, antes de mais nada, é preciso conhecer o que são e como funcionam cada um deles.
O que é o Marketplace e como ele se aplica?

O Marketplace nada mais é que um modelo de empreendimento digital que trabalha de forma rápida e precisa.

De uma forma geral, trata-se de uma plataforma online de vendas, que funciona como um “shopping” virtual.

Uber, Airbnb e Mercado Livre são exemplos de empresas que investiram no marketplace e alavancaram suas vendas, obtendo cada vez mais sucesso.

É uma ferramenta extremamente ágil, uma vez que busca, constantemente, novas formas de atrair pessoas com os mais diferentes perfis a todo o momento.

Conforme o interesse do seu público aumenta, os filtros de busca se alternam, para que enfim leve o cliente até o conteúdo que mais se encaixa no que foi pré-definido por ele.

Ou seja, se a vontade do seu público estiver de acordo com o serviço ou produto que você tem a oferecer, você terá novos clientes. Não há nada muito complexo, na verdade.

Para que o progresso seja alcançado, e para que você tenha um Marketplace de sucesso, basta seguir um passo de cada vez, e satisfazer o oferecer o que as pessoas mais procuram.

Como você pode perceber, o Marketplace é ideal para conectar a oferta e a demanda.

Já o tão sonhado lucro acontece onde estão as melhores ofertas, pois é ali que a demanda se concentra.

As principais vantagens de se investir em um Marketplace

Maior retenção: é possível que os clientes fiquem mais tempo no site e, inclusive, voltem com frequência pela grande oferta e diversidade de produtos.

Afinal, é muito mais prático realizar várias compras em um só site (e um só pagamento), do que em vários. 

Mais produtos, menos estoque: ter um marketplace é ter a possibilidade de oferecer uma infinidade de produtos sem precisar tê-los em estoque e, consequentemente, arcar com os gastos.

Crescimento exponencial: como a plataforma conta com lojas variadas, públicos igualmente variados são atraídos para ela, tornando a marca mais conhecida, podendo atingir públicos internacionais.

Menos custos com marketing: o potencial viral de um marketplace traz outra grande vantagem e economia, que são os custos com marketing!

Como a sua rede é formada por compradores e vendedores, será do interesse dos vendedores atraírem seu público para a plataforma, diminuindo a necessidade de grandes gastos.

Um investimento bem interessante, não é mesmo?

Mas antes de fazer a sua escolha, conheça mais sobre sua outra possibilidade.

Guia Comercial e tudo o que você precisa saber sobre este investimento

O Guia Comercial é mais conhecido por ser um canal muito utilizado para a divulgação de produtos.

É comum utilizar o termo “vitrine de empreendedores” quando se trata dele.

Ele funciona por um aplicativo de vendas de anúncios, fornecedores e vendedores e acaba sendo um grande facilitador do vendedor local aos clientes de sua proximidade.

Esse tipo de ferramenta viabiliza muito mais a publicidade de empresas e a divulgação delas, porém, aumenta a concorrência, por mais que a visibilidade dessa empresa esteja em destaque.

Para criar um Guia Comercial de relevância para o público, e para que ele fique popular no mercado, busque sempre estar executando a maneira ideal de trabalhar com o público e a maneira que irá influenciar na vida das pessoas.

Essa ferramenta necessita de um bom posicionamento na mente do público, e dessa forma, não terá riscos de se perder.

Conheça agora algumas das vantagens que a maioria dos guias comerciais oferecem.

Páginas exclusiva do seu negócio: disponibilidade de uma página para você administrar da forma que você desejar, incluindo textos, fotos, links e vídeo, a sua escolha.

Artigo de apresentação do seu negócio: Se trata de um texto exclusivo para apresentar o seu negócio, que ficará para sempre, ou por um tempo bem significativo, no Guia Comercial.

Mapa Interativo: Parceiros anunciantes de guias comerciais são, geralmente, cadastrados em mapas de localização, facilitando a interatividade com os usuários do Guia Comercial em questão e ajudando no processo de busca pelo seu negócio ou empresa.

Envio de E-mail Marketing apresentando seu negócio ou empresa: Envio de uma apresentação da sua empresa para uma lista de e-mails cadastrados na base de dados do Guia Comercial.

Google Maps: Em sua página exclusiva é disponibilizado um mapa de localização identificando o ponto exato do seu negócio com rotas direto do Google Maps.

Presença Online: Presença na Internet e aumento significativo da visibilidade do seu negócio, e com isso ser encontrado com maior facilidade, refletindo assim em um aumento nas vendas.

Visibilidade nos pontos certos: Seu anúncio vai estar sendo mostrado em um site específico, voltado para uma região dentro do seu interesse, assim ele será visto apenas por um público qualificado.

Mas afinal, onde você deve investir?

Agora você já sabe mais sobre como o Marketplace e o Guia Comercial funcionam na prática. Mas pode ser que ainda assim continue a dúvida de qual é o melhor para se investir e aplicar no seu negócio.

Portanto, vamos agora comparar essas ferramentas, para que suas dúvidas sejam sanadas e sua indecisão acabe, ok?

Como dissemos, o Marketplace é mais ágil e direto, com ele, você atrai clientes de diferentes localidades, que procuram pelo que você está a oferecer.

Já o Guia Comercial, aumenta sua visibilidade. Entretanto, se você procura um público orgânico, talvez essa ferramenta não se adapte para você e para sua empresa.

Portanto, normalmente, o Marketplace torna-se mais viável. Ele ainda utiliza a ferramenta do SEO.

Um fator importante, uma vez que assim os filtros de busca ficam mais aprimorados para satisfazer o cliente e o vendedor, levando o público orgânico para a sua empresa.

Outro ponto importante é que enquanto o Marketplace é uma ferramenta por intermédio de cliente e produto, o Guia Comercial passa a ser uma ferramenta de intermédio entre localização de fornecedores e clientes.

Esse processo é um pouco mais demorado se você não estiver somente a procura de clientes locais.

Olhando para as perspectivas do futuro, por mais que o Guia Comericial também seja muito inovador, o Marketplace tende a crescer ainda mais, tendo em vista que as pessoas estão sempre atrás daquilo que é mais rápido e prático.

Sem dúvidas, o Guia Comercial leva mais tempo de ser analisado, pois essa vitrine de lojas e empreendedores traz indecisões ao público, deixando de ser um meio preciso para o cliente.

Ele, ainda, oferece mais riscos de danos para a imagem da sua empresa já que a venda online ainda exige um processo burocrático para evitar fraudes e enganos.

Ao utilizar mal o Guia Comercial, sua empresa pode enfrentar problemas com o Google ou a Apple, por exemplo.

Por fim, para te ajudar ainda mais no seu processo de escolha, separamos algumas informações importantes para você saber sobre o funcionamento correto das duas plataformas.

Sobre o Marketplace

1. Shopping Marketplace: adquira sellers conforme o seu faturamento

Um administrador ou empreendedor que utiliza do marketplace como parte do seu negócio, precisa de bons vendedores e prestadores de serviço, que acarretam no desenvolvimento do projeto.

A partir disso, cria-se um “time”, que defende e fatura em conjunto para o shopping virtual.

Algumas empresas buscam somente grandes vendedores, acreditando que isso geram uma boa receita.

Entretanto, a realidade é que, grandes sellers trazem mais dificuldades nas negociações de taxa para o Marketplace.

Uma vez que o que realmente faz a diferença nas vendas, é a forma que você atrai o cliente, não a grandeza do vendedor que se utiliza.

Um bom volume de sellers de qualidade e experiência nesse caminho é sempre mais eficaz.

Veja como exemplo o aplicativo do Uber. Se o número de sellers da empresa, os prestadores de serviço, que no caso, são os motoristas, fosse pequeno, o aplicativo não conseguiria atender a demanda.

Além disso, quando os motoristas não são de qualidade, isso afeta nos feedbacks da empresa, e trazem desconfiança para os clientes

2. Colete os feedbacks do seu produto

O feedback que o público traz do produto que você oferece é extremamente importante para otimizar o seu negócio.

É fundamental estar ciente da opinião do seu público, pois essa é o desempenho do funcionamento do seu produto.

Interpretar corretamente esses feedbacks com certeza trará benefícios para o seu negócio, você passará a obter mais sellers e mais compradores.

A confiança é primordial para o seu público.

3. Fique atento na concorrência

Por mais que o marketplace seja uma ferramenta relativamente nova no comércio, muitas empresas já a utilizam.
Portanto, quando você cria o seu próprio marketplace, você precisa saber exatamente quais são os pontos que a sua concorrência tem oferecido, e o que você tem a oferecer que supere as expectativas do público.

Uma dica para que você não fique para trás de seus concorrentes, é criar networking virtual.

Estar no meio de grandes empresas elimina a concorrência.

Priorize os diferenciais do seu projeto, ofereça ao cliente novas experiências, pois é isso que afastará o seu concorrente e colocará você no topo da lista.

Comece focado na maneira que você vai atrair e reter o público e utilize do marketing como estratégia do seu marketplace.

Sobre o Guia Comercial

1- Desenvolva um Plano de Negócios

A maneira que o público recebe o seu Guia é um aspecto fundamental para o crescimento do mesmo.

Desenvolva um Plano de Negócios que identifique o seu trabalho, organize o que você oferece e a posicione o seu negócio, trazendo relevância para o cliente.

Sendo assim, o seu projeto só pode ser aplicado, quando estiver bem destacado, formando um negócio sólido e eficiente no seu lançamento.

Logo após, verá os resultados que o Guia Comercial pode proporcionar.

2- Anuncie e promova o seu site

O SEO trabalhará em conjunto com o seu negócio, você estará monitorando o que ele trará ao seu site.

Estar no topo dos sites de pesquisa é imprescindível, tanto no Guia Comercial quanto no marketplace.

O SEO é uma ótima maneira de se atrair clientes e elevar sua visibilidade no mercado, ele utiliza de diversos mecanismos que unem as idéias do seu site e as distribui para a demanda.

Palavras-chave, links e títulos muito bem pensados são muito eficazes para o SEO, e impulsionam instantaneamente o seu site nas páginas mais buscadas.

É de suma importância obter influência nos meios de comunicação.

O perfil do seu projeto varia conforme o alcance e o índice de popularidade que ele tem virtualmente.

Por isso, anuncie suas promoções, promova os seus produtos e assim alcançará novos clientes.

3- Construa uma Marca para o seu projeto

Talvez esse seja o pilar mais importante dentro do seu Guia Comercial.

Criar uma marca é como criar uma personalidade para o seu negócio, e assim fica ainda mais fácil de reter o seu público.

Quando se trata do seu produto, as pessoas devem se lembrar da sua empresa, e é através de uma marca que essa lembrança fica mais acessível.

A marca deve estar associada ao que você oferece: suas visões, missões e valores.

Por isso, fique sempre atento à que marca você está pregando e como ela pode influenciar no seu relacionamento com o público.

Assim que elas se deparam com o seu site, criam uma opinião visual, e é o logotipo da sua empresa que deve distribuir corretamente a ideia do que você está criando, trazer o primeiro impacto.

Como você deseja que as pessoas interpretem o seu negócio?

Como impactá-las?

Quando souber as respostas para essas perguntas, você já estará pronto para começar.

Agora sim acreditamos que você esteja pronto para fazer a sua escolha, e seja qual ela for, aproveite os números positivos do mercado.

O mercado de vendas online no Brasil

Considerando as importantes mudanças que têm ocorrido no setor de vendas online, há cinco pontos que você deve considerar como prioritários para preparar seu e-commerce, marketplace ou estratégia para guias comerciais.

Venda mais em 2020!

As lojas físicas estão se transformando de ponto de venda para ponto de experiência.

Isso aumenta o peso da estratégia digital.

A jornada já é omnichannel. Fique atento, porque é muito difícil um consumidor comprar algo sem passar pelo digital em algum momento da jornada.

A conexão deixou de ser uma barreira para o comércio eletrônico.

As redes sociais ganham relevância na referência de produtos e influência na decisão de compra.

Transformação digital é agenda obrigatória.

O conceito do usuário é cada vez mais:

buy what you want, where and how you want (comprar o que quiser, onde e como quiser).

É necessário estar em todos os canais.

Os números do setor estão em ascensão nos últimos anos e a expectativa é de que a evolução continue.

As pessoas estão cada vez mais conectadas e isso influência as relações de consumo.

Se ainda tem dúvidas, veja esses números:

Em sua última edição, o Webshoppers, da e-bit/Nielsen, prevê um crescimento de 12% para o e-commerce em 2019 e a expectativa é que resultado do setor seja ainda melhor em 2020.

Quando se analisam os dados referentes ao mercado de consumo, o cenário é igualmente positivo:

A TIC Domicílios 2018, com dados oficiais sobre o acesso à internet no país, indica que temos hoje 126 milhões de usuários de internet no Brasil. Estamos falando, portanto, que mais de 70% da população está conectada à web.  Para se ter ideia da evolução, em 2008 esse índice estava em 34%.

Em termos mundiais, o percentual fica na faixa dos 48%. Ou seja, nesse quesito estamos acima da média.

Questionados da TIC Domicílios sobre a relação com o varejo online, os entrevistados mostraram receptivos:

60% declararam que fizeram pesquisas de preços de produtos e serviços;

30% disseram ter comprado ou encomendado algum item nos últimos 12 meses;

9% afirmaram que divulgaram ou venderam algum produto pela internet nesse período.

Melhor não deixar essa oportunidade passa, não é mesmo? Tire o seu negócio do papel!

E se tiver ficado com dúvidas sobre algo desse artigo o quer saber mais sobre o tema, não se preocupe, estamos sempre dispostos a te auxiliar!

 

Já pensou em ter a sua própria loja virtual ou o seu próprio MarketPlace?

Preencha o formulário abaixo e solicite um orçamento!

Caso prefirir CLIQUE AQUI e seja direcionado para o nosso WhatsApp.

 

Leia também: https://helptechnology.com.br/shopping-market-place-marketplace/