Busca por comida vegana cresceu mais de 5000% no Google  

vegana
Conheça os produtos veganos

 

A boa notícia é que a busca por comida vegana cresceu mais de 5000% no Google, conforme o relatório Year in Search de 2021. Foi constatado que os usuários queriam encontrar comida vegana perto de si, pois a palavra-chave utilizada foi: “comida vegana perto de mim”.

Além disso, houve um aumento da busca por termos relacionados a plant-based, veganos e vegetarianos, assim como de dicas para reduzir o consumo de carne. O percentual revela que o aumento tem sido mais significativo a cada ano.

O Brasil é um dos países que mais consomem carne. De acordo com dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o país ocupa o 5º lugar no ranking mundial, com um consumo per capita médio de 78 kg por ano. Uma pesquisa inédita feita pelo Ibope e encomendada pelo Good Food Institute Brasil, no entanto, revelou que quase metade (47%) dos brasileiros reduziu o consumo de carne em 2020.

Além do aumento no preço da carne, outro fator colaborou para essa redução: o interesse crescente por pautas ligadas ao vegetarianismo e ao veganismo. O mercado, é claro, já está de olho nessa tendência, e não faltam oportunidades para quem investe nessa área

Veja alguns  e  produto que estão em alta no mercado vegano

Chocolate veganos

O chocolate vegano é feito com ingredientes exclusivamente de origem vegetal, não podendo incluir produtos de origem animal que normalmente são usados nos chocolates, como leite e manteiga

Cosméticos veganos

Os cosméticos veganos têm fórmulas totalmente livres de qualquer componente de origem animal. Além disso, também não são testados em qualquer tipo de animal. Na realidade do Brasil, a entidade responsável por verificar e atestar se um produto é realmente vegano é a Sociedade Vegetariana Brasileira.

Roupas veganas

Pensando na moda vegana de modo específico, aderir a essa forma de se vestir significa, basicamente, usar apenas roupas, calçados e acessórios que não empregam qualquer forma de exploração de bichos em seu processo de fabricação — como a realização de testes e o uso de matéria-prima anima

Alimentos veganos

A dieta vegana é feita, exclusivamente, a partir de vegetais. As refeições para quem não consome nenhum produto de origem animal são compostas por muitas frutas, verduras, legumes, raízes, diferentes tipos de grãos e leguminosas.

De uns dois ou três anos para cá, cresceu muito. Hoje, 14% da população brasileira se considera vegetariana ou vegana. Somos 30 milhões. Tem bastante gente parando ou querendo parar com a carne. Seja pela causa animal, seja para ser mais saudável, seja pela consciência ambienta

O mercado se expande

Quando se fala em mercado vegetariano/vegano, geralmente costuma-se lembrar de restaurantes ou serviços dedicados à alimentação. Mas a verdade é que esse nicho tem movimentado diversos outros setores. O programa de certificação vegana da Sociedade Vegetariana Brasileira, por exemplo, já contemplou quase três mil produtos de cerca de 160 marcas diferentes em oito anos de existência. Nessa lista, a maioria é do setor alimentício, mas há também cosméticos, calçados, suplementos alimentares, além de produtos de higiene pessoal, limpeza e lavanderia. Outro indicativo da popularidade desse mercado é que, de janeiro de 2016 a janeiro deste ano, o volume de buscas pelo termo “vegano” no Google aumentou mais de 300% só no Brasil.

De acordo com o levantamento, para os jovens o vegetarianismo não se trata de um modismo, e sim de uma identificação com princípios. Para os entrevistados, o aumento da adesão às dietas sem carne é resultado de uma construção, visto que o tema é uma pauta presente há bastante tempo. A pesquisa também ressalta que o fácil acesso à informação, ampliado pelas plataformas digitais, favorece que a população encontre conteúdos que promovem a conscientização.

Entre os jovens vegetarianos, as mídias sociais são a principal fonte de informação (76,7%). Outras fontes com destaque são os profissionais de saúde (50%), sites de busca (41%) e canais do YouTube (37,7%).

A pesquisa ainda aponta que a presença de influenciadores digitais, artistas e ativistas da causa vegetariana nas redes sociais pode ser um fator que contribui para a mudança no comportamento alimentar dos jovens.

Saúde física e financeira

Segundo dados do estudo, o impacto financeiro da adesão ao vegetarianismo é positivo. A maioria dos participantes ressaltaram que a eliminação da carne, um dos produtos com maior peso financeiro dentro da alimentação, tem diminuído gastos. Entre as dificuldades relatadas pelos jovens vegetarianos, a questão financeira representa apenas 15,75%. Já entre os entrevistados declarados carnívoros, somente 11,3% apontaram que não possuiriam condições financeiras para aderir a dieta sem carne.

A saúde física também é um benefício destacado pela pesquisa. De acordo com os dados, diminuir o consumo de produtos de origem animal reduz o risco de diabetes, pressão alta e dores de artrite. Além disso, pessoas que optam pelo vegetarianismo têm 42% menos chance de morte em decorrência de doenças cardíacas. Porém, o estudo salienta que é necessário manter uma orientação profissional frequente, checando os níveis de vitaminas e nutrientes. Sem acompanhamento médico adequado e uma alimentação balanceada, a dieta vegetariana sozinha não é sinônimo de saúde.

Você que já trabalha ou pretende começar com os produtos vegano chegou a sua hora.

Entre em contato com a Help e saiba como.

E-mail: Marcela.rodrigues@helptechnology.com.br

WhatsApp: Marcela Rodrigues

Telefone: (11) 4746 8556 (São Paulo)

Telefone: 0800 591 5517 (demais localidades)

vegana

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *