Número de Jovens Empreendedores cresce 15% no país em 2020

jovens empreendedores

O número de jovens empreendedores vêm crescendo cada vez mais

 

De uns tempos para cá o Brasil vem se tornando um bom lugar para o desenvolvimento de jovens empreendedores.

O Brasil estava ocupando a 16ª posição na pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM) das 50 maiores economias do mundo no primeiro semestre de 2021 em parceria com o Sebrae.

Manter o padrão de vida desejado sem precisar depender do salário de um emprego fixo é uma das vantagens mais buscadas por quem quer independência financeira.

Com a pandemia do Covid-19 o Brasil fechou 2020 com o maior número de empreendedores de sua história. Não exatamente por vocação, mas principalmente por necessidade de recomposição do orçamento doméstico, fazendo crescer em todo o país a opção pelo empreendedorismo como alternativa de subsistência.

Pesquisa traça características de jovens empreendedores brasileiros -  Fundação Telefônica Vivo

Um outro estudo, realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA, mesmo em situação de pandemia, o número de jovens empreendedores cresceu 15% no país em 2020. Esse cuidado e procura por uma educação financeira proporciona uma vida mais equilibrada, realizada e feliz, permitindo com que, dependendo do crescimento e das realizações, tenha mais tempo para ficar com a família, para curtir os amigos, crescer profissionalmente, viajar e cuidar da saúde.

Um dos grandes objetivos de quem empreende é conseguir, algum dia, obter equilíbrio financeiro e empregar pessoas.

As tendências empreendedoras que fazem parte do dia a dia das gerações X e Y, acabam refletindo também na geração Z. Essas interferências proporcionaram um crescimento de 70% no número de jovens empreendedores, no Brasil.

De acordo com o Yubo, a plataforma social da Geração Z, muitos dos jovens entre 13 e 25 anos já pensam em ter o seu próprio negócio: 50% afirmam que está previsto abrir um negócio num futuro próximo. Menos de 1 em cada 4 jovens disse que esta oportunidade ainda não apareceu em suas mentes.

Um levantamento da empresa HeroSpark, plataforma que auxilia empreendedores digitais, mostrou que 24% dos jovens das classes A, B e C, com até 30 anos, são empreendedores e 60% querem ter um negócio próprio no futuro.

O mesmo levantamento mapeou outros desejos em comum, entre eles, o da independência financeira (67%) e autonomia no trabalho (39%). Além disso, 33% ainda disseram que querem ter mais tempo flexível e 31% afirmaram querer oferecer um produto/serviço inovador no mercado.

A pandemia tem sido um grande fator neste processo de aceleração, de forma que 60% disse que este cenário os convenceram a criar a sua startup. Enquanto ficavam em casa, muitos jovens ficavam pensando no que poderiam investir. E falando nisso, 34% dos jovens disseram que a razão empreendedora deles é de mudar coisas. Ou 28% disseram que para ter acessos a mais recursos.

A importância do avanço tecnológico para jovens empreendedores 

Cresce número de jovens empreendedores no Brasil - ISTOÉ Independente

A tecnologia faz uso do mundo virtual para promover a comercialização de uma forma mais abrangente, aumentando o canal de vendas e oferecendo seus produtos e serviços para mais pessoas.

Um estudo feito pela especialista Juliana Wruck, mestre em Ciências da Comunicação com pesquisas voltadas para comunicação, cultura organizacional e relações públicas, mostra que a internet estimula a colaboração entre empreendedores para 70% dos jovens pesquisados.

Além disso, 50% deles acreditam que uma pessoa antenada nas tecnologias terá mais chance de conseguir sucesso como empreendedora. Já 43% dizem que o uso da internet amplia a possibilidade de surgirem negócios de impacto social.

Hoje em dia, os jovens são os maiores públicos que utilizam a tecnologia e com isso acabam tendo mais facilidade para usar essa ferramenta nos negócios.

Os ganhos sociais associados ao avanço tecnológico alcançaram ainda mais relevância diante das dificuldades de acesso à tecnologia que foram escancaradas pela pandemia da Covid-19.

Essa realidade demonstrou a importância de que haja a democratização tecnológica, que tem potencial de impulsionar a acessibilidade, o conhecimento, o empreendedorismo jovem e os negócios de impacto social

A tecnologia é um dos fatores que definem o nível de competitividade das empresas no mercado. Quando possuem o domínio cria-se um importante funil onde se consegue destaque no cenário competitivo do trabalho digital.

Por isso é tão importante para o jovens utilizar cada vez mais a tecnologia, conseguindo usá-la para aprender mais sobre o marketing, sobre vendas, aprender idiomas e entre outros.

Um dos grandes objetivos de quem empreende é conseguir, algum dia, obter equilíbrio financeiro e empregar pessoas.

Quando esse empreendimento é atrelado ao que se ama, torna-se um dos grandes impulsos para o crescimento do empreendedorismo jovem no Brasil.

Gostou do post?, visite o site da Help e leia muitos mais assuntos como este.

Para mais infos:

E-mail: ana.paula@helptechnology.com.br

Whatsapp: Ana Paula Mota 

Telefone: (11) 4746 8556 (São Paulo)
Telefone: 0800 591 5517 (demais localidades)

Jovens empreendedores Jovens empreendedores Jovens empreendedores Jovens empreendedores Jovens empreendedores Jovens empreendedores Jovens empreendedores Jovens empreendedores Jovens empreendedores Jovens empreendedores

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *