Estresse Financeiro: 5 dicas para se livrar desse problema

estresse

A cada quatro brasileiros, três estão aflitos com suas finanças pessoais. É o que aponta uma pesquisa realizada pela fintech Onze. A pesquisa ainda relata que os brasileiros estão mais preocupados com dinheiro, que com a família, saúde e trabalho. 

Durante o levantamento, apenas 17,8% dos entrevistados afirmaram que conseguem pagar todas as contas e poupar dinheiro ao fim do mês. E 

O estresse financeiro faz parte da vida de 58,4% dos brasileiros. O que é compreensível, afinal saber conduzir as finanças pessoais pode ser um desafio diante de cenários econômicos instáveis.

Mas afinal, o que é estresse financeiro?

O estresse financeiro, de acordo com a entidade americana Financial Health Institute, é o estresse físico causado pela ansiedade e preocupação excessiva acerca dos aspectos financeiros como:

  • Dívidas a pagar;
  • Aumento da inflação;
  • Atrasos de pagamentos;
  • Contas a pagar;
  • Desemprego.

Vale ressaltar que o estresse nem sempre é uma coisa negativa. O corpo produz hormônios como o cortisol sempre que nos sentimos pressionados, aflitos ou ameaçados: é uma defesa natural do corpo.

Quando esquecemos de pagar uma conta ou fatura, é normal sentir um estresse momentâneo. Ele passa a ser um problema quando afeta a saúde e a realização das atividades diárias. 

Os impactos à saúde são reais e sérios! Neste conteúdo, falaremos mais sobre os sintomas do estresse financeiro e daremos dicas para combatê-lo no seu dia a dia. Continue acompanhando!

Sintomas do estresse financeiro

Como vimos, o estresse é uma reação natural do organismo e pode ser causado por vários motivos, não só a preocupação com finanças pessoais.

Para saber se o seu estresse é causado por conta de aspectos financeiros, é preciso fazer uma autoanálise para identificar o que tem ocupado seus pensamentos e com que frequência você pensa nessas questões.

Abaixo, listamos alguns sintomas psicológicos de quem sofre de estresse financeiro:

  • medo de precisar diminuir o padrão de vida;
  • fazer compras impulsivas para sentir o prazer momentâneo de adquirir um bem, causando a falsa impressão de ter mais dinheiro;
  • medo excessivo de perder a fonte de renda;
  • preocupação excessiva com contas a pagar e juros altos;
  • dificuldade em lidar com dívidas.

Já sintomas físicos, podemos listar os seguintes:

  • cansaço;
  • irritabilidade;
  • ansiedade;
  • insônia;
  • dores de cabeça;
  • taquicardia, entre outros.

De acordo com o Estudo Covid-19 Global Impact, realizado pela empresa de serviços de saúde Cigna, o estresse financeiro pode causar sintomas mais graves como depressão e problemas cardiovasculares. 

Quais são as causas?

O estresse financeiro está relacionado com a forma como o indivíduo lida com sua situação financeira e com o dinheiro. Problemas financeiros que não podem ser resolvidos a curto prazo, tendem a gerar um estresse constante. 

A educação financeira é uma ferramenta muito importante para a administração das finanças pessoais. A falta de conhecimento e planejamento pode dificultar a tomada de decisões e gerar um sentimento de aflição ainda maior.

Outros fatores da vida pessoal podem influenciar nesse esgotamento, como:

  • baixa renda ou desemprego;
  • insegurança financeira no âmbito familiar;
  • necessidade de consumir exageradamente e sem limites;
  • descontrole emocional e financeiro, causando endividamento;

finanças

Como melhorar o estresse financeiro?

Mas afinal, como se livrar desse esgotamento e conquistar a estabilidade financeira? Trouxemos algumas dicas para te ajudar a ter mais saúde financeira, sem comprometer a sua saúde física e mental.

1. Busque acompanhamento psicológico

Às vezes, tudo que a gente precisa é ter alguém com quem conversar e receber uma orientação. Nada melhor do que um profissional para te ajudar a lidar com frustrações, medos e preocupações. 

Fazer terapia é essencial para tratar a ansiedade e o cansaço mental. A procura por psicólogos cresceu 60% na pandemia, evento que impactou economias globais e consequentemente, a vida financeira das pessoas. 

2. Aprenda sobre educação financeira

Outra forma de controlar o estresse financeiro, é estar amparado pelo conhecimento. Saber como administrar contas, pagamentos, ganhos e gastos é a melhor forma de evitar surpresas no final do mês ou eventuais emergências. 

Com educação financeira, você terá maior controle das suas finanças e saberá inclusive como poupar dinheiro. 

3. Estabeleça metas realistas

Todo mundo tem sonhos e objetivos pessoais. Seja fazer uma viagem internacional, comprar um apartamento ou mesmo aumentar a família. No entanto, tome cuidado com as metas irreais. 

É muito fácil se iludir e acabar frustrado quando os objetivos não são alcançados. Por isso, defina metas realistas com base no seu planejamento financeiro. Saiba o que é possível fazer com a sua receita, quanto você pode poupar e quais investimentos são possíveis fazer.

4. Viva conforme a sua renda permite

O seu padrão de vida precisa ser sustentável. Pode ser difícil deixar alguns hábitos e costumes de lado, mas milagres não existem. 

Gastar mais do que se tem só tem um resultado no final, e não é positivo. Por isso, viva de acordo com a sua renda e evite gastos desnecessários. 

Assim, você terá mais tranquilidade financeira e o seu dinheiro dará conta das suas necessidades sem te deixar apertado no fim do mês.

5. Tenha um planejamento financeiro

O planejamento não precisa ser uma planilha complexa no excel, só se você quiser. Mas é possível fazer um planejamento simples, fácil de administrar e que realmente funcione no seu dia a dia.

O importante é conseguir controlar seus boletos e acompanhar os prazos, faturas e contas a pagar. Já existem aplicativos e sites que fazem automaticamente o planejamento financeiro, como o Mobills. 

Conclusão

Qualquer pessoa pode desenvolver o estresse financeiro, independente da classe social e quanto dinheiro tem no banco. 

É uma condição que impacta a saúde de muitos brasileiros, mas seguindo as dicas acima é possível voltar a ter saúde financeira e emocional. 

Gostou do post? Visite o blog da Help para ler mais assuntos como este.

Para mais infos:

E-mail: bruna.teixeira@helptechnology.com.br

Telefone: (11) 4746 8556 (São Paulo)

Telefone: 0800 591 5517 (demais localidades)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *